Navegando na controvérsia da Ação Climática Global da COP28 de Dubai

Navegando na controvérsia da Ação Climática Global da COP28 de Dubai é um artigo para você entender o que está por trás do efeito do aquecimento global. Então, há apenas um dia, a notícia sobre a próxima Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a COP28, em Dubai, sacudiu os noticiários. Dessa forma, a reunião, que acontecerá de 30 de novembro a 12 de dezembro de 2023, surge em um momento crítico, após um ano de eventos climáticos extremos que quebraram muitos recordes. Mas o que exatamente é a COP28 e por que sua localização em Dubai está causando controvérsias?

O Que é a COP28 e Onde Ela Acontecerá?

A COP28, a 28ª reunião anual sobre mudanças climáticas das Nações Unidas (ONU), reunirá líderes mundiais para discutir como limitar e se preparar para as futuras mudanças climáticas. Assim, o local escolhido para o encontro é Dubai, nos Emirados Árabes Unidos (EAU). A conferência acontece de 30 de novembro a 12 de dezembro de 2023. O termo “COP” significa “Conferência das Partes”, representando os países que assinaram o acordo climático original da ONU em 1992.

Por Que a Escolha de Dubai é Controversa?

A controvérsia em torno da realização da COP28 em Dubai está centrada nos Emirados Árabes Unidos (EAU) serem um dos 10 maiores produtores de petróleo do mundo. O CEO da companhia estatal de petróleo, Sultan al-Jaber, foi nomeado presidente das negociações da COP28. Então, o petróleo, assim como o gás e o carvão, é um combustível fóssil e uma das principais causas das mudanças climáticas, liberando gases de efeito estufa quando queimados para geração de energia.

Mas, vazamentos de documentos indicam que os EAU planejavam usar sua posição como anfitriões para firmar acordos de petróleo e gás. Al-Jaber argumenta que sua posição única permitirá pressionar a indústria de petróleo e gás por ações, destacando que como presidente da empresa de energia renovável Masdar, supervisionou a expansão de tecnologias limpas como energia eólica e solar.

A Importância da COP28

A COP28 é crucial para manter viva a meta de limitar o aumento da temperatura global a longo prazo a 1,5°C, estabelecida por quase 200 países em Paris em 2015. Essa meta é vital para evitar os impactos mais prejudiciais das mudanças climáticas, de acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU. Embora o aquecimento atual esteja em torno de 1,1°C a 1,2°C em comparação com a era pré-industrial, as estimativas recentes indicam que o mundo está caminhando para um aumento de 2,4°C a 2,7°C até 2100, tornando o alcance da meta de 1,5°C cada vez mais desafiador.

Agenda da COP28

Além do progresso em relação às metas existentes de Paris, a COP28 se concentrará em:

  • Acelerar a transição para fontes de energia limpa para “reduzir drasticamente” as emissões de gases de efeito estufa antes de 2030.
  • Garantir financiamento para ações climáticas de países mais ricos para os mais pobres e trabalhar em um novo acordo para as nações em desenvolvimento.
  • Enfatizar a natureza e as pessoas.
  • Tornar a COP28 a mais “inclusiva” até agora.

Haverá dias temáticos sobre questões como saúde, finanças, alimentos e natureza.

Participantes da COP28

Mais de 200 governos foram convidados para a COP28. Embora o presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente chinês, Xi Jinping, não devam comparecer pessoalmente, ambos os países estarão representados. O primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, e o Rei Charles também participarão. Além dos líderes governamentais, organizações ambientais, grupos comunitários, empresas e grupos religiosos desempenharão um papel ativo.

Pontos de Conflito Prováveis na COP28

É provável que haja desacordo sobre o futuro dos combustíveis fósseis “não mitigados” – carvão, petróleo e gás que são queimados sem tecnologias para capturar suas emissões. Dessa forma, Al-Jaber defende uma “redução gradual” em seu uso, enquanto a União Europeia deve pleitear uma completa “eliminação gradual”.

O financiamento também será uma questão crucial. Embora um fundo de “perdas e danos” tenha sido acordado em COP27, como isso funcionará ainda não está claro. Os Estados Unidos, por exemplo, descartaram o pagamento de reparações climáticas por suas emissões históricas.

A Eficácia da COP28

Críticos de COPs anteriores, como a ativista Greta Thunberg, acusam as cúpulas de “maquiagem verde”, alegando que países e empresas promovem suas credenciais climáticas sem realizar as mudanças necessárias. No entanto, com os líderes mundiais reunidos, as cúpulas oferecem potencial para acordos globais que vão além das medidas nacionais. Então, a meta de aquecimento de 1,5°C, acordada em Paris na COP21, impulsionou uma “ação climática quase universal”, segundo a ONU.

Em meio a controvérsias, a COP28 emerge como uma oportunidade para definir o caminho futuro na luta contra as mudanças climáticas. O mundo está observando, ansioso por ações significativas que conduzam a um futuro mais sustentável.

Convite especial para você

Depois deste artigo Navegando na controvérsia da Ação Climática Global da COP28 de Dubai. Acredito que queira saber mais de nossa contribuição na área ambiental. Não fique inibido entre em contato: gsantana2005@gmail.com veja o nosso Instagram

Além disso, já que você chegou até aqui descubra mais sobre nós artigos abaixo:

Então, conheça também nossos cursos sobre Gestão de resíduos e Tratamento de efluentes. Maiores informações: gsantana2005@gmail.com ou 92 991227158 (WhatsApp)

24 Replies to “Navegando na controvérsia da Ação Climática Global da COP28 de Dubai”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *